Paralisia no MEC

 

06/12/2019

 

Na mesma semana em que o ministro da Educação Abraham Weintraub anunciava o lançamento da carteira de estudante digital o jornal “O Estado de S.Paulo” publicou uma matéria a paralisia e a ineficiência deste ministério em várias ações.
A matéria é baseada um relatório produzido por uma comissão de deputados federais, liderados por Felipe Rigoni (PSB-RS) e Tabata do Amaral (PDT-SP).
Segundo relatório existem problemas como a falta de ações para o fomento da alfabetização até a alta rotatividade dos cargos comissionados. 
Além disso está havendo baixo índice de execução em ações como o de apoio à educação básica. Neste ano foram investidos apenas R$ 184 milhões, que é apenas 11% do valor do ano passado (R$ 457 milhões).
Segundo o relatório da comissão essa baixa execução orçamentária é a causa direta da baixa capacidade de gerenciamento dos gestores responsáveis. A comissão disse ter pedido uma audiência com o ministro mas até hoje não foi atendida.
Queimando o filme
O nosso amigo Jair, que não costuma ter papas na língua, apontou a sua artilharia verbal para ninguém menos que o astro de Hollywood, Leonardo DiCaprio. O nosso presidente insinuou que o ator norte-americano vem doando recursos para uma ONG que provoca deliberadamente queimadas na Amazônia brasileira. "O pessoal da ONG, o que eles fizeram? O que é mais fácil? Botar fogo no mato. Tira foto, filma, a ONG faz campanha contra o Brasil, entra em contato com o Leonardo DiCaprio, e então o Leonardo DiCaprio doa US$ 500 mil para essa ONG. Uma parte foi para o pessoal que estava tocando fogo, tá certo?”, afirmou o Bolso-mor.
DiCaprio refutou a crítica. "O futuro desses ecossistemas insubstituíveis está em jogo e tenho orgulho de fazer parte dos grupos que os protegem", afirmou o ator, que também elogiou "o povo do Brasil que trabalha para salvar seu patrimônio natural e cultural".
Eleições 2020
A ex-senadora Marta Suplicy, que tinha se retirado da vida política no final do ano passado, está voltando.
Tem conversado com diversos políticos dos partidos de centro-esquerda e também com o....PT, o partido em quem militou por mais vinte anos e depois saiu com diversas críticas.
No final de seu mandato como senadora chegou a se filiar ao MDB.
Agora voltou a conversar com membros de seu antigo partido. Há uma possibilidade de que ela faça parte de uma chapa do PT para as eleições municipais do ano que vem.